Red de Bibliotecas Virtuales de Ciencias Sociales en
América Latina y el Caribe

logo CLACSO

Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: https://biblioteca-repositorio.clacso.edu.ar/handle/CLACSO/48992
Título : The body in museology as expression of identity in contemporary thought
O corpo na museologia como expressão de identidade no pensamento contemporâneo
Editorial : Edições Universitárias Lusófonas
Descripción : In the present article we seek to reflect, within the scope of an PhD investigation in ULHT, Sociomuseology department, about tattoo as an artistic expression for cotemporary museology, where we try to give visibility to a process of identity, to a mapping of experiences and of affirmation of a territory that belongs to each one of us – our body. If on one hand, we seek to answer to one of the problems that we consider important in the today’s world, we also seek to reflect about some issues that concern the Museology and the Museums. Throughout this investigation we also seek, through fieldwork expressed by interviews with the tattooed, to highlight the importance of the subject, in the museological processes, through self-knowledge, self-esteem and self-criticism, in which the subject is at the same time a museological object, considered as a work of art. Then the tattooed subject then shares many of the problems that are also common to the Sociomuseological universe: he is the subject and object of memory and forgetfulness - mapping his territory; he is also a subject of power, of his body; it is a point of heritage identification through its aesthetics; it is the search for an identity or a difference in its territory, and it is the result of the phenomenological processes of modernity. These are just some of the points that will be discussed in this text. Key words: Sociomuseology; Identity; Power; Artistic Expression; Postmodernity 
No presente artigo procuramos refletir, no âmbito de uma investigação de doutoramento na ULHT, departamento de Sociomuseologia, sobre a Tatuagem como expressão artística para a museologia contemporânea, onde se procura dar visibilidade a um processo de identidade, a um mapeamento de vivências e, por último, de afirmação de um território que é de cada um de nós – o nosso corpo. Se por um lado, procuramos dar respostas a um dos problemas que consideramos importantes no mundo contemporâneo, buscamos também refletir sobre alguns problemas que assolam a Museologia e os Museus. Ao longo desta investigação indagamos também, através de trabalho de campo expresso por entrevistas aos tatuados, salientar a importância do sujeito nos processos museológicos, através do autoconhecimento, autoestima e autocrítica, em que o sujeito é ao mesmo tempo objeto museológico, considerado como obra de arte. O sujeito tatuado é então portador de imensas problemáticas que são também comuns ao universo Sociomuseológico: ele é sujeito e objeto de memória e esquecimento – mapeamento do seu território; é também sujeito de poder, de seu corpo; é ponto de identificação patrimonial através das suas estéticas; é a busca de uma identidade ou de uma diferença no seu território, e é resultado dos processos fenomenológicos da modernidade. Estes são apenas alguns dos pontos que irão ser abordados no presente texto. Palavras-chave: Sociomuseologia; Identidade; Poder; Expressão Artística; Pós-Modernidade
URI : http://biblioteca-repositorio.clacso.edu.ar/handle/CLACSO/48992
Otros identificadores : https://revistas.ulusofona.pt/index.php/cadernosociomuseologia/article/view/7247
10.36572/csm.2020.vol.60.09
Aparece en las colecciones: Centro de Estudos Interdisciplinares em Educação e Desenvolvimento da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia - CeiED/ULHT - Cosecha

Ficheros en este ítem:
No hay ficheros asociados a este ítem.


Los ítems de DSpace están protegidos por copyright, con todos los derechos reservados, a menos que se indique lo contrario.